As três linhas principais

the symbol Andrade Andrade (RA/SA)

A linhagem Andrade é de cavalos de sela, de grande força e porte, andamentos elegantes e de muita funcionalidade tanto para touradas quanto para esporte ou serviço. São cavalos de elevada estatura, perfil de cabeça tendendo para o retilíneo e garupas arredondadas.

Ninguém melhor do que o próprio Dr. Ruy d’Andrade para descrevê-los:

“… são cavalos fortes, curtos, valentes com os touros, ardentes se provocados e calmos se não excitados, velozes na corrida e rápidos nas voltas e de bom passo, finos à espora, submissos de boa boca, infindáveis, resistentes a tudo…”

O processo de seleção usado por Andrade do utilizado na linhagem Veiga, de acordo com Baptista Coelho, que escreveu:

“Ao inverso de Manuel Veiga, partiu de uma base morfológica sólida, procurando em seguida fixar as qualidades mais subtis.”

A Coudelaria Andrade, como hoje a conhecemos, foi formada pelo processo acima descrito, a partir do famoso Príncipe VIII, garanhão Chica Navarro, neto e bisneto do “chefe de linha” Primoroso.

the symbol Veiga Veiga

A linhagem Veiga produziu animais guerreiros da antiga Lusitânia, típicos para touradas, de menor porte e de grande funcionalidade. Têm a cabeça convexa típica, chamada “cabeça aveigada”, membros finos acurvilhados, grande impulsão e pescoços flexíveis e altivos.

Manuel Veiga assim descreveu o cavalo que produziu:

“Cavalos nervosos, cheios de garbo, duma obediência que parecia feita do desejo de adivinhar a vontade do cavaleiro, a cabeça erguida, longas crinas ao vento, movimentos altos e duma rapidez fulminante afrontando com indômita coragem todos os perigos…”

Veiga é uma autêntica “raça” dentro do PSL, e quando utilizados sobre quaisquer éguas da raça, os garanhões Veiga têm o condão de reproduzir nos filhos as características mais típicas da raça.

A seleção desses cavalos se fez pela funcionalidade, como relata Baptista Coelho:

“… nem a altura, nem a morfologia acadêmica, nem a cor, nem a forma da cabeça. Tudo lhe foi oferecido pela própria raça: cabeças lindíssimas, finas, secas e ligeiramente convexas hoje chamadas aveigadas, cores raras e antigas… membros finos acurvilhados, dorsos flexíveis, uma rara impulsão, belos pescoços maleáveis…enfim a raça ofereceu-lhe um cavalo que faz vibrar esse nosso povo de cavaleiros.”

the symbol Portuguese State Coudelaria Nacional Portuguese State / Coudelaria Nacional (CN) e the symbol Alter Real Alter Real (AR)

A Coudelaria de Alter Real, fundada em 1748 por D. João V cria os conhecidos cavalos castanhos utilizados pela Escola Portuguesa de Arte Equestre, sucessora da Picaria Real.

O tipo de cavalo produzido na Coudelaria Nacional se aproxima do Cavalo Espanhol do Século XVIII. Não por outra razão, a maioria das linhagens utilizadas pela Coudelaria Nacional são de origem espanhola, descendente dos “chefes de linha” Hucharia, Primoroso e Destinado.

São cavalos de grande porte, geralmente mais longos, fortes, de garupas mais planas e que servem tanto para sela quanto para engate.

A raça Lusitana nos tempos modernos

A descrição das principais linhagens da raça não pretende se constituir numa taxonomia final.

Há que se considerar que existem muitas importantes Coudelarias que produzem excelentes animais, quer mantendo essas linhagens básicas, quer misturando-as, com ótimos resultados. Mais recentemente, o cruzamento das linhagens Veiga e Andrade, ambas produtoras de cavalos funcionais, produziu alguns dos garanhões mais célebres deste final de século: Neptuno, Opus, Novilheiro e Trinco, todos filhos do Firme (Andrade) com éguas Veiga.

Linhagens em Portugal

O Livro Genealógico Português de Equinos informa que em 31/Dez/1989, identificava-se a presença marcante de seis “chefes de linha”, uma égua e cinco garanhões, que contribuíram de forma preponderante na formação do efetivo atual do PSL. São eles os seguintes:

AGARENO: Garanhão Veiga (MV) nascido em 1931, filho de Lidador II (MV) e Bagocha (MV)

PRIMOROSO: Garanhão Dominguez Hermanos (DH), nascido em 1927, filho de Presumido (DH) e Primorosa II (DH).

DESTINADO: Garanhão Dominguez Hermanos (DH), nascido em 1930, filho de Alegre II (DH) e Destinada (DH).

MARIALVA II: Garanhão Antonio Fontes Pereira de Melo (APM), nascido em 1930, filho de Marialva (APM) e Campina (APM).

REGEDOR: Garanhão Alter Real (AR), nascido em 1923, filho de Gaivoto (AR) e Gavina (AR).

HUCHARIA: Égua da Coudelaria Nacional (CN), nascida em 1943, filha de Cartujano (APT) e Vizacaína (MRB).

Esses “chefes de linha” estão na base das 3 principais linhagens atuais do PSL: Andrade,Veiga e Coudelaria Nacional, cada uma delas com características próprias, que sem fugirem do padrão da raça, as diferenciam das outras.

Linhagens

Emir_II_MV_AS

Emir II foi o primeiro Veiga puro exportado ao Brasil. Nesta foto mostra a típica cabeça Veiga.

vardus

Vardasca nascida em março de 1979 tem histórica importância por ser a mãe do primeiro Veiga puro nascido no Brasil – Maverick Interagro. Foto: Arquivo Interagro

tuim

Tuim (CN). Foto: Álvaro Maya.
Em 1994 o garanhão Tuim foi adquirido pela Interagro diretamente da Coudelaria Nacional. Trata-se de um reprodutor pontuado com 81,5 pontos, Medalha de Ouro e que produziu excelentes filhos tanto na Coudelaria Nacional quanto nas diversas Coudelarias portuguesas em que serviu.

jump

O famoso campeão de saltos Novilheiro, de criação de Manuel Veiga é filho de uma égua Veiga e um garanhão Andrade. John Whitaker, campeão inglês de obstáculos o descobriu e juntos formaram uma formidável parceria no mundo dos concursos de obstáculos.

Garanhões Famosos

Além do “chefe de linha” Agareno, outros garanhões Veiga se destacam, entre eles: Berber, Que-Bá, Sultão, Bailador, Universo, Novilheiro, Opus, Neptuno.

Os seguintes são alguns dentre muitos garanhões Andrade famosos: Cofre, Martini, Eneias, Firme, Zamorim, Urco e Yacht, este último serviu na Interagro de 1993 a 2005.

Garanhões Famosos da CN: Prodigio, Gaipo, Opalino, Incauto, Jipão e Tuim que faleceu em 2003 na Interagro, onde serviu por muitos anos.