team_mauricio

 

Maurício saiu do Uruguai em 2002, vindo ao Brasil com a intenção inicial de conhecer e aprender com cavaleiros brasileiros antes de seguir para a Europa, mas chegando por aqui os planos mudaram. “Quando cheguei à Interagro, me senti completamente em casa e a proposta de assumir o trabalho no Picadeiro me encantou tanto que, realmente, os planos de ir à Europa foram arquivados”.

O Contato com o PSL

O primeiro contato que teve com os Lusitanos foi em 1992, através de Ito Ricciluca, que havia sido indicado a ele por um amigo da família. E se a primeira impressão é a que fica, Maurício não tem dúvidas de que o PSL é o cavalo de sua vida. “Eu já tinha montado e trabalhado com todos os tipos de cavalo, mas, quando montei um Lusitano, fiquei completamente louco e apaixonado pela raça. Parecia que sempre tinha montado cavalos lusitanos apesar de ser a primeira vez..”

Segundo Maurício, “o lusitano é um cavalo que mexe com a vaidade do cavaleiro. São cavalos tão finos que são poucos os que conseguem montá-los sem que eles percam o seu papel de protagonista do espetáculo… O PSL tem um potencial enorme, e por isso me sinto honrado em participar do seu desenvolvimento e do trabalho da Interagro, que pensa e foca a criação do PSL buscando sempre um cavalo moderno e atualizado. A Interagro trabalha em sintonia com o mundo e não apenas olha para seu próprio plantel”.

Qualidades do Puro Sangue Lusitano

As principais qualidades do PSL para Maurício, são sua grande facilidade de reunião. “Isso faz com que um cavaleiro com menos força, seja capaz de montá-lo com brilho e qualidade”, afirma ele. O desafio da criação, na opinião deste experiente cavaleiro, é aprimorar a estrutura, solidez e tempo de suspensão, fazendo com que o PSL possa competir em pé de igualdade com outras raças esportivas. Mas isso, afirma ele, deve ser feito sem que se perca a “essência” da raça. “O PSL tem uma enorme facilidade de aprendizagem e não é rancoroso”, diz o cavaleiro, que afirma ainda que “o PSL tem memória curta para as coisas ruins e excelente para as coisas boas. O PSL sabe perdoar”.

Para Maurício, que já trabalhou com diversas raças eqüinas, o PSL é “a melhor escola para se aprender a montar. Montar um lusitano é como aprender a afinar um instrumento… uma vez que você sabe, é capaz de afinar qualquer um”.

Atividades desenvolvidas no Picadeiro

O principal desafio de Maurício é encontrar a harmonia perfeita entre cavalo e seu cavaleiro e, para isso, além de conhecer qualidades e defeitos dos cavalos, precisa atuar em estreita sintonia com a equipe, formada, hoje, por cavaleiros e aspirantes. Todos possuem estreita relação com o mundo do PSL. “Os aspirantes”, conta Maurício, “são filhos dos cavaleiros e estão ligados profundamente à atividade. Meu objetivo com eles é formar cavaleiros que sejam melhores do que eu”.

Segundo Cecília Gonzaga, gerente da Interagro, “Maurício assumiu a equipe existente do Picadeiro em fevereiro de 2002. Esta equipe, era supervisionada pelo Jorge, que trabalhou conosco durante 12 anos vindo pelo menos 2 vezes ao ano para treinar e reciclar os cavaleiros. Maurício trabalha em estreita sintonia com Antonio, Chefe da Atrelagem. “Os cavalos que vão para a atrelagem precisam ser montado antes que sejam engatados”, conta ele.

Maurício retornou ao Uruguai no final de 2005, vindo a Interagro 1 semana por mês para supervisionar o desbaste e o trabalho dos cavalos jovens.

“Nossa meta no trabalho do Picadeiro, é colocar todos os nossos animais em níveis internacionais de adestramento. Assim, quando um cliente adquirir um de nossos PSL, saberá, objetivamente, em que nível ele está”. O trabalho de Maurício e sua equipe é um cuidadoso lapidar de habilidades. Mesmo porque, a natureza polivalente do PSL propicia grandes surpresas. “Biotipo conta muito para direcionar um cavalo, mas não é tudo. Nos surpreendemos todos os dias com as novas aptidões que nossos animais apresentam e que não tínhamos percebido antes de iniciarmos o treinamento”.

“Procuramos formar um cavalo que seja capaz de  executar qualquer atividade que seu proprietário queira. Quero que as pessoas vejam nossos cavalos e sonhem em montá-los. Quero que os cavalos vendidos num leilão posam ser montados tranqüilamente e com segurança por qualquer um em qualquer parte do mundo.” Afirma Maurício.

A experiência tem sido mais do que benéfica e desafiadora para Maurício. Segundo ele, “não adianta ter a melhor infra-estrutura do mundo se não temos sentimentos pelos cavalos e, na Interagro, respiramos e sentimos cavalos 24 horas”, e, segundo ele, “nossos cavalos são socializados, sabemos seus nomes… e é isso que faz a diferença da Interagro”.

Atualmente além de prestar serviços a Interagro, Maurício também trabalha com criadores do Uruguai e dá clínicas de adestramento no exterior, para conhecer melhor seu trabalho visite o site: www.delucchidressage.com